EnterAgil

Entendendo meu Público Alvo

Publicado sexta-feira, 31 de maio de 2019

Quando pensamos em fazer um evento, há uma série de fatores que precisam ser considerados para que a ideia saia do papel e consiga sucesso. Levantamento de capital inicial, definição do produto a ser divulgado e planejamento financeiro são alguns exemplos. Nesse conjunto, entretanto, poucos são tão determinantes quanto um: a definição do público-alvo.

A definição exata das pessoas que eu quero atingir farão com que eu consiga ou não reunir a maior quantidade de fatores atrativos para o local, e por consequência, gerar mais negócios;

É importante identificar desde a faixa etária e o nível de renda dos possíveis clientes até o estado civil e se têm filhos, quais locais costumam frequentar, qual suas opções de lazer, rotina de consumo, etc.  

"O lançamento de um evento sem o prévio entendimento de quem será o seu público principal faz com que o empreendedor assuma riscos que podem afetar de forma bastante negativa o resultado final.”

Outra informação muito importante é descobrir em quais meios de comunicação o seu público passa a maior parte do tempo. Entendendo isso, você saberá exatamente onde divulgar seu evento de forma efetiva.

Dicas:

– Pesquise

É importante conhecer muito bem quem você pretende atingir. Quanto mais detalhes, melhor. Agora, claro, cuidado para não perder tempo com o que não fará diferença para sua estratégia. Busque sempre por informações que são primordiais para entender o comportamento do seu consumidor, detalhes que farão você entender o que o faria comprar seu produto ou utilizar seu serviço.

– Entenda seu público nas três esferas

Esfera Cultural - diz respeito ao meio em que os clientes estão inseridos como, por exemplo, as normas, tradições, organizações, rituais e demais crenças que possuem. A partir do momento em que as pessoas se reúnem em grupos e passam a compartilhar coisas, a tendência é que elas adotem valores, aprendizados e interesses em comum. Analise o contexto do seu target.

Esfera Social - 
pode ser definido como as referências que o cliente tem, as quais podem vir da família, amigos, status, papéis sociais que desenvolvem ao longo das suas vidas, entre outras. Estas questões são levadas em consideração no momento da realização de uma compra. 

Esfera Psicológica e Pessoal - 
as pessoas passam por um ciclo de vida pessoal que acaba moldando as suas preferências e características na hora de escolher um produto, pois as experiências individuais fazem com que cada cliente tenha um motivo para comprar.

Portanto, é recomendado fazer uma pesquisa com perguntas dissertativas, que sejam iguais, mas que possibilitem que o seu grupo de clientes possa responder seguindo os seus respectivos pontos de vista sobre os assuntos que envolvem os seus produtos e atendimento. Dessa maneira, aumentam-se as possibilidades de tornaras campanhas de marketing mais assertivas.

– Organize a oferta

Após colher todas essas informações, você deverá adaptar sua oferta de forma com que a “conversa” com seu cliente fique a mais natural e próxima possível.

– Evite confundir gosto pessoal e gosto dos clientes

É muito natural ao fazer uma escolha, pensarmos naquilo que nós gostamos, naquilo que é bom para nós ou que seria de nosso agrado. A tarefa aqui é: Tire esse pensamento da cabeça. Após colher todos os detalhes sobre os seus clientes em potencial, você estará pronto para pensar como eles. Essa atitude fará toda diferença, acredite!